Brasil alcança marca histórica de mulheres à frente de empreendimentos

Total de Visualizações 1,101 total views, Visto hoje 9 views today

Estudo feito pelo Sebrae a partir de dados do IBGE registra que no 3º trimestre de 2022 o país tinha 10,3 milhões de mulheres donas de negócios

Por Da Redação

O Brasil alcançou, em 2022, uma marca inédita de mulheres à frente de um empreendimento. Segundo estudo feito pelo Sebrae, a partir de dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC) do IBGE, no 3º trimestre do ano passado havia 10,3 milhões de mulheres donas de negócios no país, o maior contingente de empreendedoras da história. Isso significa que as mulheres representavam 34,4% do universo de donos de negócios no país, muito próximo do recorde de 34,8%, verificado no 2º trimestre de 2019.

Juntos, homens e mulheres superaram o total de 30 milhões de donos negócios – o maior número da série histórica. “A pesquisa mostra que as mulheres conseguiram se recuperar da perda registrada no período da pandemia, quando a proporção de mulheres donas de negócios caiu ao pior nível (33,4%, no 2º trimestre de 2020), desde o verificado no 3º trimestre de 2016 (32%)”, explica o presidente do Sebrae, Carlos Melles.

Melles enfatiza que a participação delas tem crescido principalmente nos setores da economia que mais apresentaram incremento nos últimos tempos: serviços, comércio e indústria. “No setor de Serviços, onde se percebe a maior participação de mulheres (53%), as donas de negócio têm ampla vantagem diante da presença masculina (36%). A mesma liderança se dá, em menor proporção, no Comércio (27% contra 20% de presença masculina) e na Indústria (13% de mulheres contra 6% dos homens)”, avalia Melles.

Liderança

Os estados do Rio de Janeiro e Ceará são as unidades da Federação que lideram na proporção de mulheres donas de negócios. Em ambos, as mulheres são 38% do universo de empreendedores, contra 34,4% da média nacional. Já o Maranhão tem a maior proporção de conta própria entre as donas de negócios (93% contra 87% na média nacional). E Minas Gerais apresenta a maior proporção de empregadoras mulheres entre as donas de negócios (18% contra 13% na média nacional).

Considerando a distribuição das mulheres donas de negócios nas regiões brasileiras, o Sudeste lidera, com uma participação de 44% de mulheres contra 42% do total de homens. Nos últimos seis anos, houve expansão recorde da proporção de mulheres DN no Sudeste (41% para 44%) e uma queda da proporção de mulheres DN no Nordeste (27% para 24%).

Atividades com predomínio de donas de negócios

1. Cabeleireiros e tratamento de beleza

2. Comércio de vestuário (complementos)

3. Serviços de catering, bufê e serviços de comida preparada

4. Comércio de produtos farmacêuticos, cosméticos e perfumaria

5. Confecção sob medida

6. Profissionais de saúde, exceto médicos e odontólogos

7. Confecção (vestuário)

8. Outras atividades de serviços pessoais

9. Outras atividades de ensino

10. Fabricação de artefatos têxteis

Atividades com predomínio de donos de negócios

1. Construção de edifícios

2. Transporte de passageiros

3. Serviços especializados p/construção

4. Reparação veículos automotores

5. Transporte de carga

6. Atividades de entrega

7. Reparação de objetos domésticos

8. Fabricação de produtos de metal

9. Fabricação de móveis

10. Serviços de Tecnologia da Informação (TI)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *